Popular ▼   ResFinder  

PUC-Campinas Vestibular de 2008 - Específica - Vermelha (Medicina)

11 páginas, 50 perguntas, 1 perguntas com respostas, 1 respostas total,    0    0
vestibular
  
+Fave Message
 Página Inicial > vestibular > PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas) >

Formatting page ...

3. Considerado o contexto, correto afirmar: L NGUA PORTUGUESA Aten o: (A) Em Epaminondas, uma laranja para voc , Epaminondas exerce a mesma fun o sint tica exercida pelo pronome pessoal em Eu, por meio desta, dou ... (B) O pronome tal foi empregado com a mesma fun o de x e y: indicar, como substituto gen rico, espa o do texto que poderia ser ocupado por indica es mais precisas. (C) Em no que concerne fruta, o que se destacou pode ser substitu do, sem preju zo da corre o da frase e do sentido original, por condizentes . (D) A express o de qualquer forma remete a uma forma qualquer de ingest o restrita s enunciadas anteriormente. (E) Para responder s quest es de n meros 1 a 3 considere o texto ilustrado abaixo. Em Se voc quiser dar..., substituindo a conjun o destacada por Caso , a constru o manteria a corre o e o sentido originais assim Caso voc quer dar... . A laranja e o juridiqu s O professor pergunta ao aluno do curso de Direito: Se voc quiser dar a Epaminondas uma laranja, o que dever dizer? Ora: "Epaminondas, uma laranja para voc ". E o professor, furioso: Pense como um profissional do Direito! Pois n o. Ent o diria: "Eu, por meio desta, dou e concedo a voc , Epaminondas de tal, CPF e RG n meros x e y, a propriedade plena e exclusiva, inclusive benef cios futuros, direitos, reivindica es e outras vindica es, t tulos, obriga es e vantagens no que concerne fruta denominada laranja em quest o, juntamente com sua casca, sumo, polpa e sementes, transferindo-lhe todos os direitos e vantagens necess rios para espremer, morder, cortar, tomar ou de qualquer forma ingerir a referida laranja". E o professor: Melhorou bastante, mas n o seja t o sucinto. (Cesnik, Quintino e Salinas Advogados. Cultura de lei. Brasil. Almanaque de cultura popular. TAM. Outubro, 2007) 1. O efeito de humor nessa anedota produzido, sobretudo, (A) pela maneira inoportuna como o aluno atendeu, no primeiro momento, solicita o do professor. (B) pela rea o violenta que o professor demonstrou diante da resposta irrefletida do aluno. (C) pelo tom ir nico que o aluno imprimiu frase Pois n o, revelando que j tinha entendido, antes da primeira resposta, o que lhe fora pedido. (E) pela exagerada descri o da laranja e dos meios de degust -la, que produziu a despropor o entre a primeira e a segunda resposta do aluno. Aten o: As quest es de n meros 4 a 6 referem-se ao texto apresentado. Perto do alpendre, o cheiro das a ucenas-brancas se misturava com o do filho ca ula. Ent o ela sentava no ch o, rezava sozinha e chorava, desejando a volta de Omar. Antes de abandonar a casa, Zana via o vulto do pai e do esposo nos pesadelos das ltimas noites, depois sentia a presen a de ambos no quarto em que haviam dormido. Durante o dia eu a ouvia repetir as palavras do pesadelo, Eles andam por aqui, meu pai e Halim vieram me visitar... eles est o nesta casa , e ai de quem duvidasse disso com uma palavra, um gesto, um olhar. pela recomenda o que o professor fez quando avaliou a segunda resposta do aluno. (D) ________________________________________________________________ (Milton Hatoum. Dois irm os) 4. No fragmento acima, o (A) autor descreve pormenorizadamente o que acontecia a Zana antes da noite em que ela deixou a casa em que morava, descri o exemplificada na primeira frase. (B) narrador em terceira pessoa, ao contar a hist ria de Zana, revela-se onisciente, conhecedor da intimidade mais profunda da personagem, como se nota, por exemplo, em rezava sozinha e chorava. (C) narrador-personagem relata o que testemunhou sobre Zana, deixa o leitor ouvir a voz dessa personagem e comenta, inclusive, o comportamento da mulher de Halim, como se nota na ltima frase. (D) narrador em primeira pessoa ocupa-se prioritariamente com a caracteriza o do espa o como se nota pela ocorr ncia de palavras como alpendre, ch o, casa, quarto , entendendo-o como determinante do estado psicol gico da personagem. (E) narrador vale-se do discurso indireto para contar o que Zana repetia durante o dia, lembrando-se do pesadelo em que, sozinha, chorava pela partida de Omar. ________________________________________________________________ 2. Sempre considerada a totalidade do texto, correto afirmar: (A) O autor fez uso das aspas para indicar com precis o unicamente as produ es do aluno que exemplificam o juridiqu s. (B) O emprego da interjei o Ora prejudicou a primeira produ o do aluno, porque, no campo do Direito, o uso informal da linguagem inadequado. (C) Na linguagem cotidiana, a express o plena e exclusiva, como em Tem pleno e exclusivo conhecimento do depoimento , constitui pleonasmo vicioso, que deve ser evitado. (D) Considerada a norma culta, o emprego de necess rios, nesta anedota, inadequado; a nica forma aceit vel necess rias , pois o adjetivo qualifica o substantivo vantagens. (E) O fato de a linguagem estar sendo usada tendo como assunto a pr pria linguagem permite dizer que, nessa anedota, a fun o metaling stica relevante. PUCCAMP-08-L ngua Portuguesa 3

Formatting page ...

Top Contributors
to this ResPaper
(answers/comments)


Ana LetíCia Machado

(1)

Formatting page ...

Formatting page ...

Formatting page ...

Formatting page ...

Formatting page ...

Formatting page ...

Formatting page ...

Formatting page ...

Formatting page ...

 

  Print intermediate debugging step

Show debugging info


 


Tags : vestibular brasil, vestibular provas, provas de vestibular com gabarito, vestibular provas anteriores, vestibular Gabaritos, provas de vestibular, vestibular provas e gabaritos, provas resolvidas, enem, fuvest, unicamp, unesp, ufrj, ufsc, espm sp, cefet sp, enade, ETECs, ita, fgv-rj, mackenzie, puc-rj, puc minas, uel, uem, uerj, ufv, pucsp, ufg, pucrs  

© 2010 - 2020 ResPaper. Terms of ServiceFale Conosco Advertise with us

 

ICSE Q&A - Ask and Answer
vestibular chat